8/24/2009

Ocupación de Tánger por los portugueses:1 ) Preparación

El Infante Don Fernando fue el protagonista principal del desastre portugués en Tánger en 1437. Hijo menor Del Rey de Portugal D. Juan I, siente, como era habitual en los reyes de la época y de otras épocas, que debía ensanchar sus domínios y sus riquezas con la conquista de otros parajes y otros pueblos. Un gran número de portugueses fueron hechos cautivos por los musulmanes, entre ellos D. Fernando, y conducidos a Fez. Don Fernando propuso a su Hermano la entrega de Ceuta al rey de Fez a cambio de su libertad, pero éste no aceptó. Don Fernando murió cautivo en Fez en 1443.





O Infante Dom Fernando
A vida de D. Fernando é o fruto duma enorme tragédia espontãnea, vivida ao de-redor duma Fé nunca atingida por outro ser terreno. Tôdas as lendas da Histôria deram lugar a um ciclo de fãbulas mais ou menos inverosímeis, mas, ainda que D. Fernando tivesse querido, não poderia nunca subtrair-se ãs criacôes da fantasia popular.

A gente da sua época reconhecia nele o gérmen dos relatos que lhe atribuíram um nascimento sobrenatural. A prôpria raínha opôs-se terminantemente ã vontade de El-rei, porquanto a doenca e a febre em que ela ardeu nos dias que antecederam o nascimento do Infante, resolveram D. João a salvar a espôsa e a perder o filho. Mas ela disse : « Senhor ! Non queirades que onde eu em alghuum «casso non consentira de seer omitida, agora o queira seer de «mynha propria carne. E mais uos digo que por viuer o filho «eu aueria mynha morte por bem enpregada, e quando a Deus aprouer con o filho moura a madre, moormente que Deus he poderoso para a anbos dar vida se sua mercee forf, no qua leu tenho esprança por mereçimentos do lenho da santa cruz nos em que ele padeçeu po nos remir e a su redençom aproueitar a esta criatura, que non pereça ante de reçeber bautismo”. Tam formosa resoluçao desta mulher, dedicada de todo à alma portuguesa, sensibilizou profundamente a côrte da casa de Aviz.

O confessor Frei Gil Mendes
FREI Gil Mendes, confessor do Infante D. Fernando, abeirou-se dele certo dia quando já as côres quentes do sol-pôsto se viam bem esbatidas no horizonte. Uma tristeza infinita invadia então as ruas de Lisboa-Nova, tôda fervor, contrastando com o lugar de S. Vicente, onde a azáfama esmorecera à primeira luz acendida no arco da viela.

A lua já começava a boiar no oceano-etéreo, lua mística, cuja face sombreada parecia só distinguir-se de Portugal em tôda a sua limpidez. Os sinos, naquele instante, repicavam nas sete colinas; sinos fundidos com o bronze das portas do alcáçar de Salá-ben-Salá que, poucos anos antes, em Ceuta, serviram de troféu ás hostes do rei D. João I. Aquêle som que produzia um estarrecimento íntimo, chamava os fiéis ao recolhimento e à puríssima oraçâo cristá e causava, inocentemente, uma dor mui intensa e mui profunda nos corações dos muçulmanos.
Ésses sinos de Lisboa faziam orar, talvez sinceramente, a população que conquistara Ceuta, mas traziam em pranto e luto eterno os vencidos do Magreb. Se nas orações dos cristãos havia palavras de exaltação pela vitória, nas dos maometanos havia tristeza e amargura pela derrota. A vida das raças humanas teve sempre destas situações incompatíveis!

— Saiba V. Alteza — disse Frei Gil — que tudo o que emana da Cruz é eterno. A religião pode ter sombras, porém, a fé não deixa entorpecer a sua marcha vitoriosa...

— Quero ouvir-vos — disse ansiosamente D. Fernando.

— Pois bem, se me quereis ouvir, pela Virgem do Pranto escutai-me atentamente. S. Paulo declarou que a Cruz era motivo de loucura para os gentios e de escãndalo para os judeus. Não afirma Santo Agostinho que o desvendar do mistério da encarnação não significa nada de extraordinário? Reparai : Tôdas as dúvidas se dissipam, ao vermos os raios luminosos na face do Messias... Nasce num estábulo e anjos o anunciara, reis o adoram e Herodes o teme. Logo na anunciação é-lhe dado o nome de Jesus, isto é, Salvador, todavia quando recebe o baptismo às mãos de João, ouve-se urna voz milagrosa no céu que o declara Seu Filho Amado. Padece fome e séde, mas sacia e farta urna enorme multidão, apenas com cinco páis e dois peixes. Toma a peito e comove-se com tôdas as desgraças humanas, mas cura e anima os doentes, ressuscita os mortos. É oprimido e maltratado, porém, confunde com uma só palavra os seus caluniadores e os algozes que O vão prender. Sua alma se entristece no Getsemâni, contudo aparece logo um anjo que a consola e conforta. Deixa-se aprisionar e atar, todavia restitue ali mesmo, no Monte Olivete, a orelha que fôra decepada a Malco. Morre; o sol obscurece-se, a terra treme, despedaçam-se as pedras e as rochas gigantescas…

O spirito da época
Cristo não havia sido homem de armas e o Infante, integrado como estaba no espírito da sua época, reconhecia que o arnês e a lança esta-beleciam barreira entre ele e a passividade do Héroi do Gôlgota.

Nesse belicoso período dava-se aos altos feitos guerreiros em terras de infiéis um carácter quási de evangelização, porquanto as hostes abriam brecha entre os sarracenos em nome do Salvador, impondo a doutrina da Cruz pelo destro manejo das adagas, com a vesga consciência de que mereciam assim o amor supremo de Deus...

Naquela noite D. Fernando desfiou todo um rosãrio de dúvidas. Havia despedido Frei Gil sem a cordialidade do costume, banhado em pranto e agitado pela comoção. Na manhã seguinte, mal o sol despontou e o aroma da brisa do Tejo inundou o ambiente taciturno do quarto modesto de tam mística personagem régia, João Álvarez, secretário privado do Infante, recebeu de seu amo a incumbência de comunicar a El-Rei D. Duarte o resultado das conjecturas da erma solidão do seu espírito. Não aceitaria o oferecimento do Papa.

«...como ele não tijnha, como dar aos seus todo o que «mester auiam conthinuadamente, nen con que os agasalhar, «cuidou de leyxar todo esto, e de se hyr viuer ao reigno dIngraterra, teendo que, segundo o grande diuido, que con ele Rey «dIngraterra auya, que o reçeberia de bõa vontade, do que «ele ja era çertifycado...»

O seu carãcter era assim. Não quería obter honras na terra sem as bem mereçer; para obter as do Céu, iría, pelo menos, imitar os apôstolos de Cristo...

Havia dias, muitos até, que no paço não se falava doutra coisa senão do siléncio extemporãneo de El-Rei D. Duarte. Alto e franzino, mais alto do que os irmãos, de tipo esbelto da fria Escócia, D. Duarte, que, quando príncipe, se havia distinguido em Ceuta, via-se agora rei, rodeado por homens de génio que tratavam apenas de distinguir-se entre os individuos dessa época de renascimento. O Conde de Arcos quería ir com o rei de Castela à conquista de Granada; o Conde de Ourém «...lhe pedía tanbem licenca para se hir fora do «Regno, a ueer terra onde se enton for. E des y sabendo ele «como a Duquesa de Bregonha, sua irmãa, enuiaua requerer «seu irmãao o Ifante dom Anrique para hir a Frandes teer «conpanha ao Duc seu marido, asy para proseguimento de gera «de França, como porque tynha tençom de passar em Jerusalem, e era-lhe compridoiro dauer em sua conpanhia huu tal «Capitam, enuiando-lhe prometer que o poeria em pose da ilha «da Morea...» Cada um buscava onde ir engalanar-se de lauréis e revestir-se de fama, para que depois se falasse dele na Pátria distante. Era assim o espírito da época.

El-Rei D. Duarte
D. Duarte, usando da sua preponderãncia régia, aproveitava o ambiente criado da ânsia das conquistas, para alimentar a idea de vir a orientar a iniciativa duma expedicão a Tânger, porque estava «posoida tiranamente pelos mouros». Num désses momentos de expectaçao palaciana, um pajem deu entrada ao Infante D. Henrique no aposento privado onde se encontrava El-Rei, que recebeu o irmão com alegria. Conferenciou a sós com êle, expondo-lhe os seus projectos.

D. Henrique iluminou a idea com a fôrça do entusiasmo que em si vibrava, lembrando a El-Rei a histôria grandiosa que lhe acudira à mente e que ambos ouviam amiúde, desde a sua infància, que começava assim : «Ya el escuadron portugués iba a bolver las espaldas... El Maestre de Aviz, o Rey de «Portugal entonces, adelantofe prefurofo de la Efquadra que «llevaba, y aun a pié, dicen algunos, com fu efpada, y fu rodela, «y con grandes voces los comenzo a animar de efta manera: — «Aqui efta vueftro Rey, Soldados, donde vais? 0 a que bolveis? «Ni que caufa os acobarda? Por demãs es huir, porque el «Enemigo os tiene tomadas las efpaldas, y afsi no hay efpe-«ranza de vida, fino folo en la efpada, y el valor. Acafo fe os «ha olvidado, que peleais aqui por el bien de vueftra patria? «Por la libertad? y por no ver efclavos vueftros hijos y «mugeres? Poned delante los ojos, la afrenta, la calamidad, y «el llanto, que es fuerza que verga fobre los vencidos. Y mirad, «finalmente, que haverme alzado por Rey, ha fido por burlarme, para dexarme corrido y afrendado...»

Naquela hora de grandes resoluções, D. Duarte abraçou e acariciou o irmão. Éste saíra do palácio, compondo o rebuco de arminho da sua capa, satisfeito consigo próprio, ao pensar na influência da Escola de Sagres naquela expedicão em projecto.

Tal influencia levara outrora sua família a Ceuta e agora a Tânger... Mais tarde levaria o sobrinho à conquista de Alcácer-Seguer e de Arzila... Depois, levaria os vindouros ao mundo inteiro ! E tudo isto em nome do Cristianismo ! Os reinos de Prestes João das Indias, que os compassos com as suas pernadas hirtas rodavam nos mapas dos mestres judeus, sendo pouco a pouco desvendados, seriam todos para êle; conquistados à custa dele!...Na crista do grave promontôrio estava monopolizada a ciência dos melhores cartógrafos do tempo; semitas reünidos avaramente por essa ave marinha de larga envergadura que era D. Henrique.

Entretanto, D. Duarte dera ordem definitiva para se aprestarem para a conquista de Tânger. «Ordenou de fazer «hua armada... na qual fose por Capytam o Ifante dom Anrique, e con ele este Ifante dom Fernando seu irmãao, e o «dicto Conde de Reolos, e que leuasem conseguo xiiii mil conbatentes: saber — os iiij mil de caualo, e os x mil de pee». E a D. Fernando mandou dizer : «que ele esperase asy, porque «muy çedo o entendia con a graça de Deus encaminhar em «outra maneira melhor...»

Duvidas
Tornada pública a expedição a Tânger, só o Infante D. João tivera a coragem moral de expressar a sua opinião na carta seguinte, dirigida a El-Rei, seu Senhor: «Nuestra gente muchas veces con gran daño fué acometida y al prefente ferida fu perdicion, fi no remedian con «fus fuerças, y fino fabian enfrenar aquel orgullo, o zelo defapoderado. Ojalá yo falga mentirofo; pero fi no foffegais esta «gana de pelear, y la governaís con la razon, los campos de «Africa quedaran cubiertos con nueftra sangre. En efta gente, «y foldados confiais? Antes de la pelea fe mueftran bravos, y «venidos a las manos, en el peligro, trance cobardes, pues no «tienen ufo de las armas, ni fortaleza, ni vigor en fus coraçones, folo numero y no mas. Por ventura menofpreciais à los «Moros? Temo que efte menofprecio hade acarrear algun gran «mal. Mirad, que irritais una gente muy determinada, fin «numero y fin cuento, y por fu ley, por fus casas, por fus «hijos, y mujeres pelearan con mayor animo. Direis que van «confiado en la ayuda de Dios. Effo feria fi las vidas y «coftumbres fueran apropofito para aplacarle mejores de lo «que vemos en efta gente, y fi con madureza, y con prudencia «fe tomaren las armas, que los Santos no favorecen los locos «atrevimentos, y fandios: antes ferá por demas canfallos con «plegarias y rogativas no limpias. Alguna experiencia que «tengo de las cofas, y el amor ferviente de la patria, y de la «falud comun, me hacen habler afsi, y temer, no cuefte á todos «muy caro efta refoluçion que teneis en vueftros animos «concebida».

No deveis acometer a África — dizia — a não ser com todas as fôrças do Reino, pois aquela província é poderosa em armas, gente e cavalos... Onde está o dinheiro para as soldadas, para o socorro, se fôr necessário? — Véde, El-Rei, meu Senhor, que a-pesar-de Sua Santidade, o Pontífice Eugénio, ter dado a indulgéncia a todos que, tomando o sinal da Cruz, se alistaram nesta armada, quão poucos se decidiram a partir...

Mas de que serviam já as palavras, as profecias e as opiniões, se o nordeste, soprando rijo na foz do Tejo, as dissipava e arremetia contra as ondas balouçantes de Oceano?

A marinhagem, à luz da lua de Agôsto, deixava-se abrasar pelas mulheres e pelos filhos, emquanto cosia, numa derradeira azãfarna, as velas brancas dos navios de alto bordo.

No ocaso do mundo antigo, o espírito semítico tentou conquistar a Europa e as hostes de Abdalá avançaram triunfalmente no norte de África e reduziram a Península Ibérica a uma provincia musulmana.

Tomado de:
A vida do Infante Santo
José de Esaguy
Edições Europa, Lisboa, 1936

No hay comentarios:

Publicar un comentario